Quando silenciar é preciso



Quando silenciar é preciso
®Sunny Lóra

É um risco total e absoluto dar opiniões, sejam elas nas coisas muito pequenas e simples como nos desabafos, no cansaço de ler e ouvir quase sempre as mesmas coisas, dia após dia. Bem que se tenta mudar um pouco e falar de outros assuntos, mas o fato é que o uso da palavra, tanto o escrito quanto o falado, é um precipício para onde somos empurrados sem dó por quem não concorda conosco, como se estivéssemos cometendo um crime.

Por causa dessa minha impulsividade, já vivi situações constrangedoras sem ter o mínimo de intenção de atingir alguém. Mesmo os elogios devem ser medidos porque podem recebê-lo como ofensa. Eu evito dar opiniões na vida de qualquer pessoa, até dos meus filhos. Parece que as pessoas preferem nos ver com uma fita adesiva na boca do que ouvir algumas coisas necessárias. Entretanto, o que se constata é que cada um fala o que quer, pensa o que vier à mente, aceita, não aceita, se defende, assumindo o papel de vítima numa situação que nem de longe foi incluído. 

Sou extremamente afetuosa, transparente e amiga e nunca fui infiel, de nenhum modo. Mesmo sendo deste modo, chego à difícil decisão de que é muito melhor ouvir do que falar. Eu vivi algumas situações tão desagradáveis que preferiria não ter falado nada. Como dizia uma pessoa com quem tive um estreito relacionamento, "Mesmo que você se cale, quem sempre tem razão sou eu."

Não diga que gosta de azul, de pão de casa, de doces, de rezar, de abraçar. O risco que você corre é que joguem o cinza na sua cara, que o pão de casa tem muita caloria e que você é gorda igual um presunto, que você é maluca de comer doces, que rezar é coisa de carolas, que abraçar machuca.

Ainda vou descobrir uma maneira de mostrar o que sinto, que não seja através de palavras. Talvez fotos que falem...

Segunda feira de maio, 2012
Gif by Nilo