Nuvens de Algodão







Nuvens de Algodão


O céu que eu vejo
parecem carneirinhos
passeando em algodão...
são nuvens branquinhas,
tão minhas...

Neste céu, desenho com
o meu olhar pequeno,
de pintora de sonhos,
figuras de vida, vivida...

Flores, um Sol e uma Lua,
um amor impossível,
consigo enxergar:
aviões, barcos, cachorrinhos...
até um rosto, o teu, consigo ver...

No meu olhar, em horizonte
sei que saudade não tem face,
mas ela eu delineio, linda,
em pequenas nuvens
feitas de algodão...

“Portais da Alma” – Ed.GSA, 2005