Desenhando Saudade




Desenhando saudade


foi-se o tempo depositando lembranças 
no pensamento, ora doces, ora amargas 
deixando aqui e ali, os vestígios da vida passada 
ao lado de alguém que representou amor.

foi-se o tempo, mestre dos artifícios 
desenhou no coração uma dor suave 
recordação sutil de uma face amiga 
era a saudade daquele amor que tive um dia.

foi-se o tempo e com ele a juventude, 
a impetuosidade e ânsia de saciar desejos 
mas não levou consigo a capacidade de amar.
foi-se o tempo, mas ficaram as recordações 
Ora doces, ora amargas... e muita saudade. 


Terça de 1 de novembro, 2011