Um céu a dormir




ouve o som dos ventiladores caindo
sobre tua cama cansada, como sonhos
deixa a lua chegar, reinando no teu lugar...
permite chuviscos cairem no teu mar.

lençóis brancos te abraçam, tão sós
prédios ouvem tua música bonita de amor
dorme, menino, o sol não vive de noite...
deixa-o descansar do calor dos teus dias.

na cama do sonho deitas-te em cores desbotadas
sente a lua acesa que já não te aquece mais
com janelas fechadas, em todos os lugares.

caem águas e limpam teus olhos, logo
na teimosia, teu tempo passa em braços
que um dia quiseram ruas cheias... Dorme!







(Este poema foi feito para quem descobre que os dias não são mais jovens)