À tua procura






Quem és tu, que procuro sempre,
No olhar de todos os sóis?

Por ti abro meus céus e vida
Construo luas brilhantes,
Balanço nas brancas nuvens
E nelas pinto quadros de amor.

Quem és tu, que procuro sempre,
Nas estradas de minhas areias?

Por ti percorro jardins perfumados
Até em pedras cortantes das encostas,
Procuro sombras gostosas pra me abrigar
E sonho, entre sossegada e ansiosa.

Quem és tu, que procuro sempre
E não chegas, não te enroscas...


Segunda-feira de 24 de outubro de 2011