Gostoso é estar só(*)




Gostoso é estar só (*)


Falar com Deus todos os dias
Saudar o meu Anjo de Guarda
Soprando-me os ventos fortes
De quem se importa por mim...

Olhar-me no espelho sem receio
Descobrir luz nos meus olhos!

Beijar as plantinhas que eu adubei
(Ajudante Nina sempre como sombra...)
Ver o céu com olhos de muito sol
Deixá-lo tocar meu branco corpo.

Falar com a Lua todas as noites
Consolar-me com ausências sentidas
Entender as escolhas das pessoas
(E aceitá-las com dignidade, sem dor)

Dar-me abraços de amor...


Sonia - domingo de 30 de outubro de 2011



(* eu disse “estar” – não “ser”)
(* Nina: minha pequena vira-latas)