Castelo de Palavras



Construo castelos de palavras
Suavemente, são os meus dedos
Trazendo emoção ao pensamento
Transforma-se em papel rabiscado
E dele eu faço o que quero:
Digo que amo demais (sempre)
Ou que me sinto muito só.
Ás vezes, acho graça das palavras
Que não vem, não vem...
Mas meus dedos as formam,
Conduzem as minhas dores
Para o mundo de fazer de conta
Brincam de me fazer uma princesa
Ou uma bruxa montada na vassoura...

Manhã de chuva de 5 out 2011