Tempo de Mudar




Tenta um pouco de bondade em teu coração
Ouve os sons da noite quietamente a te embalar
Joga fora todos os pesadelos e máscaras negras
A perseguir os teus dias, hora após hora – sempre.

Pensa nos teus tempos de sandálias de borracha
De pães repartidos em quatro pequenos pedaços
E naquela mão que te estendeu para novo impulso,
Lembra-te dos bancos das pracinhas com os teus filhos.

(Daquele dia em que resolveste mudar de vida...)

Olha pra trás, não usa o teu poder (efêmero) agora.
Bem à tua frente existe um espelho, mostrando rugas:
É a tua face refletida nas diferenças que fazes.